quinta-feira, 31 de maio de 2012

Hoje, você é "Chef por 1 dia"


Noodles

Hoje, vou ensinar como preparar um delicioso Noodles.
Noodles é uma comida típica chinesa, são preparados de varias formas dentro de sopas ou em pratos com carne e vegetais.
É uma receita onde é indispensável o uso do molho shoyu e do óleo de gergelim.



Vale a pena conferir.
Eis a receita.

Ingredientes:

1 Pct de 500g Noodles
Óleo de Gergelim QB (quanto basta)
Molho shoyu QB(quanto basta)
2 cebolas brancas cortadas em julienne
2 cenouras cortadas em julienne
1 pimentão amarelo cortado em julienne
1 pimentão verde cortado em julienne
250g de Brócolis
2 talos de alho poró cortado em julienne
Sal e Pimenta do Reino QB (quanto basta)
Azeite de oliva QB(quanto basta)
1 cebolinha picada

Modo de Preparo:

Primeiramente coloque o Noodles em água fervente de acordo com as instruções de cozimento contidas na embalagem.
Em uma panela separada, aqueça 2 litros de água para branquear seus legumes.

DICA: Branquear nada mais é do que fazer um pré-cozimento muito rápido para preservar melhor sabor, cor, vitaminas e minerais de vegetais que você vai usar mais tarde ou congelar.
O processo é bem simples, mas é importante seguir à risca o tempo de cozimento indicado para cada variedade. Isso por que: se você branquear de menos, corre o risco de super estimular umas enzimas danadas que aceleram a deterioração; e se branquear demais, vai acabar com uma verdura ou legume sem gosto, mole, feio, sem-graça e sem valor nutritivo.

Coloque a cenoura já cortada na água fervente por aproximadamente 30 segundos, e depois tire e coloque em um recipiente com água super gelada com cubos de gelo. Isso irá parar o cozimento do legume.(reserve)
Faça o mesmo processo com o Brócolis.(reserve)
Em uma panela WOK, aqueça um pouco de azeite e adicione a Cebola.
Em seguida adicione o pimentão e deixe refogar por aproximadamente 6min.
Adicione o a cenoura e os brócolis a wok e mexa bem.
Misture tudo com o Noodles já cozido e adicione o Molho shoyu( aproximadamente 130ml) e o óleo de gergelim(aproximadamente 2 colheres de sopa).
Adicione pimenta do Reino QB(quanto basta) e conserte o sal se precisar.
Adicione a cebolinha picada e misture novamente.
Para finalizar, frite o alho poró em óleo bem quente.
Coloque o alho poró frito por cima e sirva!!

Bom apetite!!

Legumes cortados em Julienne


Noodles - www.chefpor1dia.com


quinta-feira, 24 de maio de 2012

Hoje, você é "Chef por 1 dia"


Rocambole de chocolate (sem farinha)

Hoje, irei ensinar como fazer um delicioso rocambole de chocolate.
Um rocambole ou uma torta, é um bolo fino salgado ou doce, em forma cilíndrica.
Feito com massa comum de bolo, a cobertura é passada sobre o bolo, para que este seja então enrolado sobre si mesmo.
Diferente de um bolo de camadas, o rocambole é feito de uma única peça de bolo. Os recheios podem ser diversos, desde carnes (nos salgados) a doces (como a goiabada, chocolate e o doce de leite).
Um tipo de rocambole típico de Pernambuco é o Bolo-de-rolo.

Eis a receita.

Ingredientes:

Massa:

6 ovos
4 colheres de sopa de açúcar
4 colheres de sopa de chocolate em pó

Ingredientes - Recheio e cobertura:

1 lata de creme de leite com soro
3 colheres de sopa de açúcar
6 colheres de sopa de chocolate em pó

Modo de preparo:

Massa:

Forre uma assadeira de 24 x 33 cm com papel manteiga.
Pré aqueça o forno a 220 graus C.
Bata as claras em neve, então adicione o açúcar e bata novamente. Reserve.
Em separado, bata as gemas e junte o chocolate.

DICA: (Aconselho bater à mão. Ao bater as gemas e o chocolate usando a batedeira, a consistência ficará muito grossa e não será possível incorporá-la às claras em neve.
Portanto bata as gemas manualmente, e adicione o chocolate. Sem esquecer que todo o processo tem que ser manual).

Incorpore a mistura de gemas e chocolate às claras em neve.
Despeje a massa sobre a assadeira, espalhe igualmente com a ajuda de uma espátula e leve ao forno por aproximadamente 20 minutos.
Estará pronto quando testando com um palito, ele sair seco.
Tire do forno e desenforme imediatamente sobre um pano úmido coberto com um pouco de açúcar.
Enrole apenas a massa com a ajuda do pano para dar forma a ela e desenrole.

Prepare o recheio e cobertura:

Coloque todos os ingredientes numa panela e leve ao fogo, mexendo sempre até encorpar e soltar do fundo da panela.
Espere esfriar e use metade para rechear o rocambole e metade para cobertura.

Montagem:

Coloque metade do recheio sobre o rocambole e espalhe uniformemente com a ajuda de uma espátula.
Com a ajuda do pano enrole e forme o rocambole.
Cubra-o com a outra metade do creme espalhando com a ajuda de uma espátula.
Se preferir, sirva acompanhado de morangos.
Bom apetite!!











Receita: www.entrepanelas.net

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Hoje, você é "Chef por 1 dia"


5 guloseimas que trazem benefícios à saúde

Hoje, irei novamente mostrar algo super interessante.
5 guloseimas que não fazem mal a sua saúde, bom não ???
Espero que gostem.

Final da tarde, falta muito para a hora do jantar, mas sua barriga está roncando. Será que você deveria fazer um lanche? Sim, desde que escolha os alimentos com inteligência.
“Comer a cada 3 ou 4 horas ajuda a controlar o apetite”.
Comer de 3 em 3 horas, também fornece os nutrientes de que você precisa antes e depois da corrida ou do seu exercício diário.
Mas atenção para não extrapolar. Programe um ou dois lanches por dia, cada um com 150 a 250 calorias.
Evite os industrializados e prefira opções integrais ou minimamente processadas, que vão matar a fome e fazer de você um esportista mais saudável.

O Lanche – pipoca

Rica em fibras e com baixas calorias, a pipoca também é um alimento benéfico ao coração. Em um estudo apresentado em 2009 pela Universidade de Scranton (EUA), pesquisadores verificaram a quantidade de polifenóis presentes em diversos grãos integrais e descobriram que a pipoca tem o maior teor desse nutriente.
Os polifenóis são antioxidantes que podem proteger seu organismo dos danos aos tecidos e às células relacionados com doenças cardíacas e alguns tipos de câncer.



O Lanche - chocolate amargo

O estresse em excesso pode aumentar o risco de doenças cardíacas.
De acordo com um estudo de 2009, o chocolate amargo pode ajudar a prevenir o problema. Pesquisadores deram aos participantes 40 gramas de chocolate amargo diariamente por duas semanas.
O chocolate reduziu os níveis de hormônios do estresse em participantes ansiosos.
Há também evidências de que o chocolate amargo pode ajudar a diminuir a pressão sanguínea (e, assim, reduzir o risco de doenças do coração). Mas é só um pedacinho, não a barra.



O Lanche - amendoim torrado

Um estudo publicado no periódico Food Chemistry constatou que, quanto maior o tempo de torra dos amendoins, mais altos seus níveis de antioxidantes.
Amendoins bem torradinhos preservam mais manganês e vitamina E (que ajudam a proteger seus ossos e glóbulos vermelhos, respectivamente) do que os ligeiramente torrados ou mesmo crus.
E eles são ricos em proteína, fibras e gorduras saudáveis, três nutrientes que o ajudam a se sentir saciado por mais tempo.
Guarde pequenas porções de amendoim na gaveta do escritório ou prepare seu próprio mix com amendoins e frutas secas.



O Lanche - suco de cereja

As frutas vermelhas (como morango, framboesa e cereja) comprovadamente ajudam a reduzir inflamações e aliviar as dores e, além disso, são boas para o coração.
Em um estudo publicado no Journal of Nutrition, participantes beberam cerca de 240 ml de suco de cereja ou um placebo duas vezes por dia ao longo de duas semanas.
Os pesquisadores descobriram que o suco reduziu os danos oxidantes, que podem contribuir para doenças cardíacas. As qualidades protetoras das frutas vermelhas são provenientes de alto nível de antioxidantes.
Embora o suco perca boa parte das fibras da fruta, "é uma excelente fonte de carboidratos", diz a nutricionista esportiva Pamela Nisevich Bede, o que faz dele uma boa escolha para a recuperação após a corrida.




O Lanche - cereais com leite

Um belo café da manhã pode ajudar a acelerar a recuperação após um treino pesado. Em um estudo publicado em 2009 no periódico Journal of the International Society of Sports Nutrition, ciclistas pedalaram por 2 horas e em seguida comeram cereais integrais com leite desnatado ou tomaram uma bebida esportiva à base de carboidratos (isotônico). Vários dias depois, eles repetiram o teste.
Os pesquisadores constataram que o cereal repõe os estoques de energia tão bem quanto a bebida esportiva.
O leite também fornece proteína, importante para a recuperação muscular, o que torna essa opção de lanche pós-corrida mais barata e menos processada.



Boa Semana a todos!!

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Hoje, você é "Chef por 1 dia"

A gastronomia que marcou 5 importantes momentos históricos.


Apesar de essencial para a sobrevivência e para o sucesso de eventos sociais, a comida fica, muitas vezes, em segundo plano nos registros históricos. Para preencher essa lacuna e matar a curiosidade de amantes de gastronomia e de história, o superintendente da editora Melhoramentos, Breno Lerner, escreveu o livro “O Ganso Marisco e outros papos de cozinha”.
A obra não é um livro de receitas, mas uma compilação de crônicas e histórias sobre culinária, reunidas durante 15 anos de pesquisa. De acordo com Lerner, tudo começou com seu interesse pela culinária judaica e, com o tempo, seus achados sobre as comidas de outras culturas e religiões foram se expandindo.
Sua pesquisa foi feita com base em viagens, documentos e livros, mas sua principal fonte de informações foi a bíblia. “A bíblia não é um livro de história. É um livro de lendas, mas é uma grande referência sobre a cultura”, diz. “O Ganso Marisco e outros papos de cozinha” traz 36 contos, mas há ainda muitos outros por serem contados e que, segundo Lerner, devem render mais livros no futuro.
Enquanto outros causos não são revelados, confira a seguir as comidas que fizeram parte de alguns importantes momentos da história do mundo.

A última refeição do Titanic

Os 337 passageiros da primeira classe do R.M.S. Titanic, que afundou na madrugada de 15 de abril de 1912, puderam saborear uma ceia farta antes de o navio se chocar com um iceberg. Por ser impresso, o cardápio do salão da primeira classe foi recuperado e publicado no livro “O Ganso Marisco e outros papos de cozinha”.
Alguns dos pratos servidos naquela noite foram ostras frescas com molho de vodca, limão, raiz-forte e cebolinha, sopa cremosa de cevada temperada com uísque, posta de salmão cozida com molho holandês batido com creme e “Chicken Lyonnaise” (frango cozido em molho de cebola, alho, vinho branco e tomilho).

Entre os pratos principais, estavam o filé-mignon assado com molho à base de champignons, vinho e cebola, e o pato assado com glacê à base de Calvados (bebida alcoólica destilada) com purê de maçã. De sobremesa, sorvete de baunilha e bombas de creme cobertas com chocolate e acompanhadas de creme de baunilha.

As comidas exóticas do tempo do cerco de Paris

Tromba de elefante à caçadora, cabeça de asno recheada, gato assado ao molho de ratos e camelo assado à inglesa. Essas foram algumas das iguarias experimentadas em restaurantes finos de Paris, a partir do final de 1870. Na época, as tropas de Napoleão III haviam sido derrotadas por Otto von Bismarck, na batalha de Sedan, o que deixou o povo da cidade indefeso e sem suprimentos.
Diante da falta de ração para dar aos animais do zoológico de Paris e da escassez de alimentos para saciar o paladar da elite francesa, os bichos “exóticos” começaram a ser vendidos para o abate. O chef Alexandre Ettiène Choron, do restaurante Voisin, foi o mais famoso entre os que adotaram esse cardápio peculiar, na época. “Na história do cerco de Paris, a gente vê até onde vai o pecado da gula”, afirma Lerner.

O banquete para todos os prefeitos da França

Cerca de 30.000 convidados estiveram presentes no que o jornal The New York Times chamou de “maior banquete de todos os tempos”, em 22 de setembro de 1900. Apesar de o livro de Breno Lerner afirmar que, há mais de 2.800, houve um jantar na Assíria com quase 70.000 convidados, esse jantar promovido pelo então presidente Émile Loubet para todos os prefeitos da França não ficou muito atrás.
A tenda construída no Jardim das Tulherias tinha 35.000 metros quadrados com sete quilômetros de mesas. Para não haver problemas com a conservação dos alimentos, o cardápio foi dominado por alimentos frios, mas requintados.

Alguns dos itens do menu foram: salada de vegetais cozidos e resfriados, temperados com vinagrete à base de alho, vinagre tinto e mostarda suave, posta de salmão cozida em caldo de peixe, recoberta por aspic e maionese espessa com macedônia de vegetais, e creme de ervilhas frescas com vinho branco.

O último grande baile antes da proclamação da república

Em novembro de 1889, foi realizado um baile que pode ser considerado a grande despedida do império no Brasil. Sob a desculpa de homenagear os oficiais do couraçado chileno Almirante Cochrane, foram gastos 100.000 contos de réis que seriam destinados aos flagelados da seca no Ceará para pagar o banquete, que, na verdade, foi feito para comemorar os 25 anos de casamento da Princesa Isabel e do Conde D’Eu, na Ilha Fiscal, no Rio de Janeiro.
Para saciar os cerca de 2.000 convidados, foram encomendados, entre outros ingredientes, 3.000 sopas de 22 tipos, 20.000 sanduíches diversos, 800 lagostas, 800 quilos de camarão, 1.200 latas de aspargos, 800 latas de trufas, 1.500 costeletas de carneiro, 1.300 frangos, 14.000 picolés, 10.000 litros de cerveja e 80 caixas de champanhe.

O jantar entre três imperadores

O czar Alexandre II, seu filho Tsarevich Alexandre, o kaiser Guilherme I da Prússia e o príncipe Otto von Bismarck jantaram juntos no restaurante mais famoso de Paris, o Café Anglais, em junho de 1867, só para bater papo.
Naquela noite, o cardápio ficou a cargo do chef Adolphe Dugléré, que serviu, entre outras iguarias, o peixe rodovalho gratinado com pouco molho branco e queijo gruyére, suflê com miúdos de galinha, champignons e trufas, aspargos amarrados e servidos com molho bechamel e patê quente de codornas temperadas com vinho e coberto de bacon. De sobremesa, bomba recheada com sorvete, creme e macedônia de frutas.
Se fosse servido hoje, o jantar teria custado cerca de 1.000 euros por pessoa. E, segundo o livro, o czar Alexandre II ainda saiu reclamando por não ter provado “foie gras”, item que só passaria a ser servido em outubro. Para não perder o cliente tão importante, o chef prometeu preparar o prato assim que chegasse a época. Em outubro, o czar experimentou a iguaria.

Bom Final de Semana a TODOS!!

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Hoje, Virgínia Ribeiro é "Chef por 1 dia"


Cookies


Hoje, uma grande amiga e colega de classe é nossa Chef por 1 dia.
Virgínia Ribeiro nasceu em Juazeiro do Norte, e decidiu vir para Fortaleza estudar Gastronomia.
Sua paixão pela culinária vem desde criança.
Ela relata que sempre ficava observando sua mãe e sua avó na cozinha, tentando descobrir todos os segredos.
Virgínia Ribeiro, gosta de cozinhar pratos salgados, mas afirma que sua paixão é realmente por doces.
Tem como objetivo futuro montar e administrar uma  confeitaria bem charmosa.
Então, hoje ela vai nos ensinar a fazer uns deliciosos cookies.
Contatos para encomendas em Fortaleza: virginia.rioli@gmail.com

Cookies por Virgínia Ribeiro

Cookies, também conhecidos como biscoitos, são pequenos bolos achatados, feitos com massa de farinha ou de nozes moídas e por vezes com ovos.
Existem grandes diferenças regionais no uso destas duas palavras.
Abaixo duas categorias, usando termos da língua inglesa:
Os cookies ("biscoito" na maior parte do Brasil, "bolacha" em São Paulo) são tipicamente doces.
São usados principalmente para o lanche, simples ou barrados com manteiga, compota ou outro tipo de cobertura.

Eis a receita.

Ingredientes: (Rende 40 cookies).


1 lata de leite condensado
200g de manteiga
2 xícaras farinha de trigo
200g de chocolate ao leite picado
1 colher de chá com essência de baunilha

Modo de preparo:

Primeiro bata o leite condensado com a manteiga.
Depois acrescente a farinha e a essência.
Por ultimo acrescente o chocolate picado e misture tudo muito bem com uma colher.
Coloque porções de massa em uma forma untada e enfarinhada e leve ao forno médio por aproximadamente 30 minutos.

Sirva quente ou frio!
Bom apetite!!

Cookie


Virgínia Ribeiro
 

terça-feira, 15 de maio de 2012

Hoje, Mariana Meireles é "Chef por 1 dia"


Petit Gateau

Hoje,  Mariana Meireles é nossa Chef por 1 dia.
Mariana é estudante de Gastronomia e apreciadora de doces.
Para ela, essa sobremesa é uma de suas preferidas, então topou em nos ensinar a fazer um delicioso Petit Gateau.
Petit gâteau (pronuncia-se peti gatô) é um pequeno bolo de chocolate com casca crocante e recheio cremoso. 
Petit Gateau

Foi criado por acidente nos Estados Unidos, quando um aprendiz de chefe de cozinha aqueceu demais o forno.
Mesmo com o erro, os clientes adoraram a receita e assim popularizou-se nos restaurantes de Nova Iorque na década de 1990 e chegou ao Brasil em 1996.
Atualmente, possui variações de recheio e ingredientes que não se limitam mais somente ao chocolate e podem ser de doce de leite, goiaba, tangerina, outras frutas ou bebidas alcoólicas.
Também se acredita que o petit gâteau consumido nos EUA e no Brasil, seja uma copia de uma sobremesa criada em 1981 pelo chef Michel Bras chamada biscuit tiède de chocolat coulant.
Normalmente é servido com uma bola de sorvete de creme e cobertura de chocolate, porém variações podem ser uma surpresa muito agradável.

Dica:
A temperatura do forno deve ser a mais alta possível, e sempre pré-aquecido.
Por exemplo, se a temperatura do forno caseiro atingir 370°C, assar os bolinhos por cinco minutos.
Se a temperatura estiver em grau mais baixo, como 250°C, o tempo de forno deve ser de sete minutos. Os bolinhos estarão no ponto certo quando as bordas estiverem assadas e o centro apresentar textura mole ao ser pressionado com o dedo.

Eis a receita da nossa chef.

Ingredientes:
Para o Recheio:

1 lata de moça fiesta chocolate cremoso
Leite em pó QB (quanto basta)

Para a Massa:

100g de chocolate meio amargo picado (1 xícara de chá)
80g de manteiga (½ xícara de chá)
4 ovos
½ lata de leite condensado (¾ xícara de chá)
60g de farinha de trigo (½ xícara de chá)
Cacau em pó para polvilhar


Modo de preparo:

Recheio:

Com uma colher de sopa, pegue 7 porções de chocolate cremoso e passe cada porção no leite em pó.
Usando as mãos pegue o chocolate cremoso e modele formando bolinhas. (Reserve).

Massa:

Numa panela em banho-maria coloque 100g de chocolate meio amargo picado e 80g de manteiga e misture até derreter. (Reserve).
Coloque numa tigela 4 ovos, ½ lata de leite condensado e 60g de farinha de trigo e misture bem.
Adicione o chocolate derretido (reservado acima) e bata bem.
Em 7 forminhas redondas (7,5cm de diâmetro e 5cm de altura) untadas com manteiga e polvilhadas com cacau em pó coloque um pouco de massa deixando 0,5cm da borda da fôrma. Em cada forminha coloque uma bolinha de chocolate cremoso (reservado acima).
Leve as forminhas ao forno alto pré-aquecido a 250°C por 9 minutos ou até a lateral do bolo estar assada e o centro ainda mole.
Retire do forno, desenforme ainda quente e sirva.

Sirva com uma bola de sorvete de creme e bom Apetite!!

domingo, 13 de maio de 2012

Hoje, você é "Chef por 1 dia"


Lagarto na Pressão com Purê de Batatas

Hoje, irei ensinar como fazer um lagarto super prático.
O Lagarto é um tipo de corte da carne bovina.
Esta localizado na parte traseira do animal e representa, aproximadamente, 3,73% da carcaça traseira.
Também denominada na região sul do Brasil como tatu.

Eis a receita.

Ingredientes:

1,5kg de Lagarto
1 embalagem de bacon cortado em cubinhos
4 dentes de alho
Azeite QB (quanto basta)
1 pacote de creme de Cebola
1 lata de cerveja preta
350ml de água
200g de cogumelos champignon
1 maço de cheiro verde

Purê de batatas:

1/2kg de batatas cozidas e amassadas
2 colheres de sopa de manteiga
3 dentes de alho amassados
1/2 colher de sopa de sal
150ml de creme de leite
Salsinha picada QB

Modo de preparo:

Retire toda a gordura de uma peça de lagarto de 1,5 kg.
Fure a carne e coloque cubinhos de bacon nos furinhos. Reserve.
Em uma panela de pressão doure os 4 dentes de alho picadinhos com duas  colheres de azeite.
Coloque o lagarto e doure dos dois lados.
Quando estiver dourado, coloque 1 pacote de creme de cebola, 1 latinha de cerveja preta e os 350ml de água.
Tampe a panela e leve ao fogo alto por 40 minutos.
Após os 40 minutos, abra a panela, coloque 200gr de champignon fatiados e 1/2 maço de cheiro verde picadinho.
Tampe a panela novamente e leve ao fogo baixo por mais 40 minutos.

Para o purê, doure o alho amassado com a manteiga.
Depois adicione as batatas já cozidas e amassadas.
Mexa bem, adicione o sal e o creme de leite.
Adicione salsinha picada e sirva.
Bom apetite!!

Lagarto com Purê de batatas

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Hoje, você é "Chef por 1 dia"


5 dicas de como escolher e comprar o seu vinho

Hoje, irei dar algumas dicas preciosas sobre vinhos.
O vinho (do grego antigo ονος, transl. oínos, através do latim vīnum, que tanto podem significar "vinho" como "videira") é, genericamente, uma bebida alcoólica produzida por fermentação do sumo de uva.


Na União Europeia o vinho é legalmente definido como o produto obtido exclusivamente por fermentação parcial ou total de uvas frescas, inteiras ou esmagadas ou de mostos, no Brasil é considerado vinho a bebida obtida pela fermentação alcoólica de mosto de uva sã, fresca e madura, sendo proibida a aplicação do termo a produtos obtidos a partir de outras matérias-primas.
A constituição química das uvas permite que estas fermentem sem que lhes sejam adicionados açúcares, ácidos, enzimas ou outros nutrientes.
Apesar de existirem outros frutos como a maçã ou algumas bagas que também podem ser fermentados, os "vinhos" resultantes são geralmente designados em função do fruto a partir do qual são obtidos (por exemplo vinho de maça) e são genericamente conhecidos como vinhos de frutas.

O Vinho, assim como a crase, não foi criado para humilhar ninguém.
Mas muita gente sofre um pouco na hora de escolher qual garrafa vai levar para casa. “Eu não entendo de vinho” é frase mais comum de se ouvir.
Como se fosse preciso algum conhecimento prévio para agradar o próprio paladar.
O medo do consumidor diante da prateleira, ou da carta de vinho de um restaurante, lembra o temor do goleiro durante o pênalti.
Isso é totalmente compreensível, já q são mais de 20.000 rótulos espalhados pelos pontos de venda e cartas às vezes extensas ou mal elaboradas. 


Então, para ajudar um pouco, vou citar 5 dicas essenciais.

5 dicas para se dar bem:
1. No restaurante.

Confie no sommelier: ele é seu aliado.
Em geral ele elaborou a carta e/ou tem conhecimento sobre a melhor combinação com a comida da casa.
Seja claro sobre quanto quer gastar (lembre-se que os preços ali são mais altos mesmo) e o tipo de vinho que mais lhe agrada.
Não tenha vergonha de pedir o rótulo mais barato da lista, muitos consumidores, evitando demonstrar falta de afinidade com o tema, acabam optando pelo segundo vinho da lista, que nem sempre entrega mais qualidade, mas obviamente será mais caro.

2. Nas lojas.
Prefira as casas especializadas ou importadoras.
As chances de o vinho ser melhor tratado ali é maior, pois eles vivem disso. Os catálogos das importadoras são uma ótima fonte de pesquisa sobre a origem e as características do produto.
Alguns são tão bons e completos que valem como leitura. Claro que no texto todos os vinhos são excepcionais; alivie os elogios exagerados e fique na essência da informação Esteja aberto a sugestões dos vendedores das lojas, e crie uma relação de confiança com estes profissionais que entendem do riscado e podem ajudar muito na escolha.
3. Na internet.
O comércio eletrônico já é realidade.
Transforme a tecnologia em uma aliada. Toda loja importante tem sua divisão de e-commerce.
Praticamente todo rótulo tem uma resenha escrita na web. É uma espécie de catálogo digital, onde se pode pesquisar pelo produto, região, uva, safra e até pontuação da crítica, para quem acha isso um fator importante na hora da compra.
4. Ajuda dos amigos.
A propaganda boca a boca é uma forma desinteressada de trocar experiências.
Os amigos podem dar boas dicas, seja na mesa do restaurante, no escritório e principalmente nas redes sociais, para onde a conversa fiada foi transferida.
A discussão rola solta nos fóruns, twitters e facebooks da vida.
Curtiu um vinho? Fotografe o rótulo, se não você vai esquecer.
5. Aposte na certeza.
Se você está no começo desta jornada, não se arrisque.
Na dúvida, escolha um vinho pelas uvas mais conhecidas de cada país ou região.
Malbec na Argentina, cabernet sauvignon no Chile, sangiovese na Itália, um corte bordalês (cabernet franc, cabernet sauvignon e merlot) na França, tempranillo na Espanha, touriga nacional em Portugal, riesling na Alemanha, sauvigon blanc na Nova Zelândia e espumantes no Brasil (se quiser um tinto, arrisque um merlot).
Com tempo você deve se aventurar, apostar na variedade e mudar seu padrão de escolha, arriscando um torrontés argentino, um shiraz chileno, um pinot noir francês, um antão vaz lusitano, um mencia espanhol, um nebiolo italiano, os vinhos de corte (mistura de várias uvas) e por aí vai. As escolhas são infinitas.

Espero ter ajudado a todos com essas 5 dicas!
Bom dia a todos!!